02/01/14

REGRESSO


A nostalgia passageira 
envolve-me na doce presença
da tua alma,
que me
acolhe e
seduz.
O grito de lamento que silencia 
a noite escura,
segreda-te palavras de
amor perpétuo
infindável.
As saudades calam a
minha boca
num beijo
crente de regresso.

2 comentários:

Nuno Miguel disse...

Um regresso em grande às palavras e à poesia neste canto secreto, Parabéns Poeta!

Ives disse...

E à noite, de nostalgia, retorna a doce alegria! abraços

Enviar um comentário