01/05/10

FADO

Escrevo a minha vida como um fado.
Com a nobreza da palavra saudade de um futuro que vivo hoje,
com a tristeza que me acompanha pela tua ausência.
Mas com a esperança que vislumbro no horizonte deste
mar azul que me rodeia,que palpita em meu coração.
Sinto a mágoa de não viver contigo e comigo.
Escrevo a minha vida num fado fadado pelo amor,
em que me dou e nada peço.Prendo-me a este amor
como a guitarra ao tocador,intrínseca.
Sou um fado tristemente alegre por te ter encontrado
e calo-me quando te vejo chegar devagarinho,sem dar conta.
Entras em minha alma que se ilumina numa magia,
escrevo a minha vida num fado de amor.

1 comentário:

Marcos R. B. Lima disse...

Descobri um mundo secreto, um mundo de flores e poemas. Neste mundo também há o fado. O fado também existe neste mundo porque ele existe em qualquer lugar habitado pelos seres, ditos, humanos. O fado é amor, dor, incerteza e alegria: o fado é poesia.

Parabéns Isabel!

Enviar um comentário