23/08/10

RAPTO DA NINFA


Despi-me das estrelas que a noite me cobria.

Embrenhei-me nas brumas do teu amor e

descobri a perfeição de dois corpos misturados.

Eu ninfa, Tu sátiro. Rolámos pelos prados do prazer onde

explorámos bosques e florestas de quimeras.

Fizemos um banquete de sentidos onde nos saboreámos

e cristalizámos nosso amor nas pedras do caminho.

Adormeço em teus braços nus mas acordo nos braços de Pã,

que me amaldiçoa com sua música e me veste

com o luar lívido e leva-me.


5 comentários:

Nuno Miguel disse...

Magnífico! Uma noite assim, tão repleta de simbolísmo é algo belo e raro. Parabéns

Ruy Barros disse...

Um rapto, quase perfeito. Parabéns!

M.M.Soriano disse...

Um belo e intrigante sonho!

avoema disse...

O prazer e o medo, juntos, fizeram novamente belas palavras. Parabéns Isabel (Ceu Lavos)

avoema disse...

O prazer e o medo, juntos, fizeram novamente belas palavras. Parabéns Isabel (Ceu Lavos)

Enviar um comentário