06/11/10

NUDEZ

Retiro de mim as vestes de mulher e desnudada

entro na poesia.

Humilde, descalço meus pés e passeio pelas palavras

que cobrem meu corpo.

Percorro a minha memória e encontro as sílabas que sussurrei

ao amor, mas que o vento as levou para longe...perdi-as.

Deito-me na palavra saudade e nela revejo minha vida

e faço um verso com que me cubro.

Sonho com frases que a minha boca não sabe dizer mas

que a alma sente. São palavras de amor.



2 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Que lindo, Isa!!!

Você tem uma sensibilidade encantadora!

Beijos, querida!

Patricia disse...

Como são belas e límpidas as palavras que vestem a tua alma, Isabelinha!

Enviar um comentário