05/06/10

SAUDADE AO VENTO

A saudade olhou pela janela,
espreguiçou-se e quis levar-me com ela
quis enrolar-me nos lençóis da memória,
de um passado que tantas vezes foi glória
mas como podia deixar-te...esquecer teu abraço
moreno em minha pele alva e sedosa.
Foste tudo para mim, querer-te assim
não é mais que desejar eternamente estares comigo.
Penetrar em teus olhos e entrar em tua alma
acariciar tua face delicada e contemplar-te,apenas.
Essa imagem de ti que sempre guardo
é por vezes luz, por vezes fardo.
Os nossos corpos sentem falta da nossa alma,
eu fiquei com a tua que guardo em mim e a minha
partiu sem destino e pena por ti.
Corre ao desvario no vento da saudade
que bate à minha porta, espreita pela minha janela
para levar cada vez mais de mim com ela.
Eu deixo que me leve para te encontrar e em ti banhar-me
sorver teu âmago e dares-me a vida. Passeemos de novo
pela via láctea das nossas emoções e do amor.
As mãos entrelaçadas num só gesto terno
fazem-me ver que o nosso lugar é aqui...
O beijo dado ao entardecer faz-me sentir que te quero,de novo
não quero resistir,rendo-me ao teu abraço generoso.
Pertencemo-nos!


(Poesia conjunta com Ariana Pintor,jovem poetisa)

1 comentário:

Marcos R. B. Lima disse...

Muito bom! Parabéns para as duas!

Abraços.

Enviar um comentário