22/05/10

MATIZ

Nossas roupas matizam o chão onde abrimos a caixa de
Pandora dos apaixonados.
Avolumam-se sensações impregnadas em nossa pele,
que teimam em permanecer no nosso interior.
Percorremo-nos delirantemente como se o mundo fosse só nosso.
Passeamos nossas margens e descemos nossos rios de prazer.
Desaguamos na foz do amor onde apagamos o fogo que nos incendeia.
Soltamos espasmos vários e perdemo-nos em fantasias tresloucadas de amor.

4 comentários:

Emerson Donizeti Batista disse...

Como no tempo verbal: mais que perfeito!

Um Olhar Atento de Diana Esnero disse...

Linda poesia! Amo as palavras intimistas de amor feérico!

PAOLINHA38 disse...

Fico mais feliz toda vez que entro aqui...beijos minha linda

kostta disse...

parabéns pela veia incognita

Enviar um comentário